fbpx

Inflação europeia acelerando

A taxa de inflação da Zona do Euro avançou 0,6% em abril, ante março, e 1,6% frente a abril do ano passado, marcando o maior nível em 2 anos para o indicador. Por outro lado, o núcleo da inflação, que desconsidera energia e alimentação, álcool e tabaco, recuou de 0,9% para 0,7% frente o mesmo período de 2020.

Na comparação anual, a principal contribuição veio da energia, que apresentou variação de 10,4% e impactou o resultado em 0,96 ponto percentual. Em seguida vieram contribuições dos serviços (+0,37 p.p.), alimentação, álcool e tabaco (+0,16 p.p.) e bens industriais não energéticos (+0,12 p.p.).

A inflação da Zona do Euro se aproxima rapidamente da meta estabelecida pelo Banco Central Europeu de “algo próximo a 2%”, mas, como fica evidente, grande parte da contribuição vem da energia, que estava barata no início do ano passado e é um dos grupos mais voláteis do indicador. Desse modo, esperamos que o impacto da energia diminua ao longo do ano e o impacto dos serviços e bens industriais não energéticos aumente.

Open chat
Podemos te ajudar?