Alimentos puxam inflação novamente

24/11/2020

O índice teve queda frente a outubro, quando havia registrado 0,94%, mas ficou acima das projeções de 0,71%. Nos últimos 12 meses, o valor acumulado é de 4,22%, acima do centro da meta de 4%.

Todos os grupos apresentaram alta em novembro, mas mais uma vez o grupo de Alimentos e bebidas foi o que mais influenciou o resultado, subindo 2,16% e contribuindo com 0,44 pontos percentuais. O segundo maior impacto veio dos Transportes (1%), causado pela alta de 1,17% da gasolina.

O preço dos alimentos vem apresentando constante alta em 2020, muito em razão do câmbio favorável às exportações. Apesar disso, o índice de difusão, que mede a proporção de itens que tiveram aumento, foi de 66,5% ante 64% anteriores, mostrando que os preços estão se espalhando mais. Ao mesmo tempo, o aumento dos alimentos ao longo do ano vem gerando forte pressão inflacionária sobre os consumidores no curto prazo.